VOCÊ AGE OU REAGE? – Parte 1

Nós humanos, diferentemente dos animais, conseguimos identificar nossos pensamentos; temos a capacidade da autoconsciência. Com isso temos como avaliar e aprender tanto com as nossas, como com as experiências dos outros, podendo assim, modificar nossos hábitos.

Com a autoconsciência podemos examinar a nós mesmos e aos outros, afetando também a maneira como vemos as pessoas ao nosso redor. A autoconsciência nos ajuda a perceber se aquilo em que acreditamos, nossos paradigmas, estão baseados em realidades ou princípios, ou se são uma consequência do condicionamento das circunstâncias.

O renomado consultor e escritor Stephen Covey, comenta em um de seus livros, o cuidado que precisamos ter quando a única visão que temos de nós mesmos, vêm das opiniões, imagens e paradigmas das pessoas a nossa volta. Estas visões são fragmentadas e não são específicas para nós, pois as pessoas não têm como saber 100% como somos.  Esse paradigma social, aquilo que é aceito pela sociedade tende a nos rotular, determinando o que somos. E  isso está associado a teoria do estimulo/resposta, ou também podemos dizer, da ação e reação, onde a ideia básica é que somos condicionados a reagir de determinada maneira a um estímulo em particular. Covey escreve que existem três teorias do determinismo que são aceitas:

O determinismo genético, onde considera que a culpa de sermos como somos, está em nossos avós, afinal está no DNA, é a tal da herança genética.

Existe também o determinismo psíquico, aonde aqui a culpa é dos nossos pais. Nossas experiências da infância contribuiram para nossa personalidade e caráter, pois lembramos que quando éramos crianças fomos rejeitados e comparados com outras crianças, e isso afeta a nossa performance hoje.

E por fim, o determinismo ambiental, em que a culpa é do nosso chefe, nosso esposo, nossos filhos, dos políticos, enfim, alguém ou alguma coisa no meio ambiente é responsável por nossa situação.

E aqui te convido a uma reflexão: De que forma essas três teorias, esses três mapas sociais influenciam em seu desenvolvimento pessoal? Será que quando alguém fala: “Você é muito desorganizado”, você acredita que isso é uma verdade e ainda vai buscar em quem  por a  “culpa”para este seu comportamento?  Será que você já se pegou falando: É que eu puxei meu pai, ele é bem mais desorganizado que eu… Ou então quando alguém lhe diz: “Você não entendeu? Mas isso é tão simples!”, você já ficou pensando: “Humm, eu sou meio burro mesmo, na escola eu não conseguia tirar notas altas. Ele têm razão…” E a questão, é que todos esses seus pensamentos vão afetando sua vida, seus relacionamentos e sua auto-estima.

Quando agimos de acordo com essas teorias “deterministas”, tendemos a ser reativos. Somos as vítimas infelizes das circunstâncias externas. Lembra daquela autoconsciência que escrevi no início deste texto? Pois bem, o seu uso, exclusivo de nós humanos, nos torna poderosos, capazes de agir com liberdade de escolha de acordo com os nossos princípios e aprendizados ao longo de nossa vida, não nos deixando influenciar por comentários e rótulos que nos são colocados pelo meio social.

Como este assunto é vasto, por hoje deixo a reflexão acima para você. Te encontro no próximo artigo, onde continuarei este tema, pois tanto eu como você, queremos ser HOJE, MELHORES do que ontem. Vamos juntos.

Ah, aproveitando… seria muito bacana ler sua opinião sobre isso… Comente !

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Time limit is exhausted. Please reload CAPTCHA.